Hospital Moinhos de Vento - R. Ramiro Barcelos, 910/701  (51) 3268-9994

Clinica Tympani - Av. Assis Brasil, 1631/301 - Porto Alegre  (51) 3341-1065

Perdas auditivas

A audição normal permite que ouçamos todos os sons da fala. Ela permite a associação da fala, da audição, das relações entre os sons e das experiências vividas, tornando possível o desenvolvimento das habilidades auditivas e a aquisição da linguagem. Do canto dos pássaros ao ruído do vento – incluindo músicas que dão prazer – tudo é possível quando se ouve bem. É considerada normal uma audição até 25 decibéis.

A perda auditiva neurossensorial é classificada como leve, moderada, severa ou profunda. Pode ser unilateral ou bilateral, ocorrendo progressivamente ou como surdez súbita.

Perda auditiva leve ocorre quando sons fracos são difíceis de escutar. Entender os sons da fala é difícil em um ambiente ruidoso, são perdas entre 25 e 40 decibéis, a pessoa ouve os sons das vogais e muitas das consoantes como podem estar inaudíveis.

Perda auditiva é moderada, quando os sons fracos e moderados são difíceis de escutar. Entender a fala em nível de voz natural é muito difícil na presença de ruído de fundo. Apenas sons fortes como choros de crianças são audíveis. A comunicação com o mundo torna-se bastante limitada. Nesses casos a perda auditiva é superior a 40 até 70 decibéis.

 

Na perda auditiva severa, nenhum som de fala, em nível de conversação natural pode ser entendido, somente alguns sons graves de piano ou o toque do telefone em volume máximo. Conversas têm que ser conduzidas em voz alta e quando em grupo só são possíveis com considerável esforço. Sem o uso de aparelhos auditivos, a comunicação é bastante dificultada.

Perda auditiva profunda

A perda auditiva profunda acontece acima de 90 decibéis e nenhum som é entendido. É possível escutar alguns sons muito fortes. Se a alteração auditiva ocorrer desde o nascimento (congênita), a aquisição da fala e da linguagem pode ser atrasada ou não acontecer. Sem o uso de aparelhos auditivos, a comunicação não é mais possível, mesmo com muito esforço.

Adaptação de aparelhos auditivos

O aparelho auditivo tem como finalidade ajudar as pessoas com perda auditiva a perceber os sons. Os aparelhos auditivos melhoram a compreensão da fala em várias situações e dão suporte às muitas funções do sistema auditivo humano como localização sonora, compreensão de fala e em muitos casos a reintegração do paciente ao convívio social. Este processo é conduzido por uma equipe de médicos e fonoaudiólogas, o objetivo é selecionar o aparelho adequado a cada caso. Hoje, graças ao desenvolvimento da tecnologia digital e a um design bastante avançado, é possível encontrar aparelhos auditivos tão pequenos que podem ser colocados no fundo do canal auditivo sem que haja prejuízo da reprodução sonora., etc.

Otites

Otite é um termo geral para toda inflamação ou infecção no ouvido. O sintoma preponderante é a dor de ouvido e pode acompanhar de diminuição da audição.

 

A otite externa envolve o ouvido externo e canal auditivo. O sintoma é conhecido por uma dor forte quando tocado ou puxado e é mais comum em adolescentes e jovens adultos.

 

A otite média acomete o ouvido médio. É uma infecção atrás do tímpano. Pode acumular secreção atrás do tímpano. Em alguns casos é necessário até uma cirurgia para remoção deste fluído.

Zumbidos

zumbido, também chamado de acúfeno ou tinnitus, atinge milhares de pessoas ao redor do mundo é um sintoma que frequentemente é associado à perda auditiva. Estima-se que ele acometa até 24% da população em alguns países.  No Brasil, especialistas apontam que pelo menos 28 milhões de pessoas sofrem com este sintoma.

 

O zumbido acontece quando as vias auditivas passam a enviar impulsos mesmo sem que haja uma fonte sonora que os envie, ele é um incômodo constante que pode afetar o sono, a concentração e o equilíbrio emocional.

 

Por ser um sintoma com origem multifatorial, é recomendado que o zumbido pudesse ser avaliado por uma equipe multidisciplinar composta por: otorrinolaringologista, dentistas, fonoaudiólogos. Esta diversidade de fatores faz com que não exista um tratamento único. A boa notícia é que mais de 70% dos pacientes já consegue ter melhora parcial do zumbido quando um tipo de tratamento é bem indicado.

 

Para diagnosticar o problema com mais exatidão são feitos uma série de exames capazes de identificar a origem do barulho. No entanto, são propostos alguns tratamentos como o uso de aparelhos auditivos específicos para o tinido com tecnologia que proporcionam conforto e estética em um só aparelho.

Labirintites

A labirintite é uma doença do ouvido que afeta o labirinto e suas estruturas responsáveis pela audição (cóclea) e pelo equilíbrio (vestíbulo). As pessoas costumam chamar qualquer distúrbio na região do ouvido interno de labirintite. O termo correto é labirintopatia, sendo labirintite uma delas

 

O principal sintoma da labirintite é a vertigem, em que a pessoa sente que tudo ao seu redor está girando. Muitas vezes ela pode vir acompanhada de outros sintomas, como:

Ouvido